O Coringa teria matado Ledger?

Nesse filme ele ganha do Batman. E disparado. Ele é o centro das atenções e tem o perfil psicológico que faz tudo ficar muito interessante e assustador. Sim, o Coringa em interpretação impecável do ator morto recentemente, Heath Ledger, assusta não por ser “do mal”, mas por ser um louco, que faz tudo com uma frieza inexplicável, vide a seqüência da explosão do hospital de Gothan City. Ele persegue o Batman e não há um motivo aparente, não é por dinheiro, pois ele o queima. Não é por ser bandido, pois a loucura é amoral. Ele se envolve com a máfia, mas comanda a marcha da morte, envolve e não se envolve.

E, o fundamental, ele não planeja! Nada do que a rocambólica trama do filme revela é planejado pelo Coringa. Simplesmente ele orquestra sua legião de seguidores. Os seguidores da loucura. E o filme provoca medo pelo paralelo que pode haver entre esta interpretação do Coringa e a morte do próprio ator, em seu apartamento no bairro do Soho, em Nova York. “O ator australiano, 28 anos, foi encontrado morto e nu aos pés de sua cama na terça-feira, segundo a polícia, e tinha por perto medicamentos para dormir e outros vendidos com receita.”, informou matéria na ocasião.

Uma tímida e rasa análise do que eu sei sobre a vida do ator confirmam minhas suspeitas: que o Coringa tem a ver com a morte de Ledger. Nas cenas mais ousadas do filme, é nítido o quanto o ator mergulhou no personagem, dando a ele vida. Teria Ledger conseguido separar-se de seu personagem humanamente louco? Confira a trajetória e pense: em Brokeback Montain, ele conviveu com a atriz Michelle Willians o tempo suficiente para, na vida real, casar-se com ela e ter uma filha. Leadger parece transpor para a vida muito dos seus personagens… Isso deve ser comum entre os atores, apaixonar-se por quem contracenam… Mas, a sucessão de fatos leva a crer que no caso de Heath Ledger, essa confusão foi além.

Para corroborar minha suspeita, algumas declarações do próprio ator. Em entrevista ao “New York Times” de 4 de novembro, Ledger revelou que as filmagens do novo “Batman” o deixaram física e mentalmente exausto e que precisou tomar pílulas de um remédio chamado Ambien para conseguir dormir.

Sem nenhuma pretensão de estar certo, divido algo que eu já pensava antes e que, ao assistir o Cavaleiro das Trevas, apimentou minha opinião: Coringa e sua loucura não mataram Batman, mas talvez tenham levado Ledger para o estado de loucura. A morte veio sem ser planejada! Essa história trágica tavez possa resultar no primeiro Oscar póstumo de Hollywood. Quanta ironia, Batman!

+ Leia mais sobre a morte do ator, aqui.

COMENTÁRIOS

Este artigo não possui comentários